Saiba os benefícios da atividade física para a saúde mental

Você sabia que seu corpo pode adoecer por causa da sua cabeça?

Vamos te explicar! 

Já está mais do que provado que a prática de atividade física melhora muito os índices de saúde do ser humano. Não à toa, a OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda que adultos de 18 a 64 anos façam, semanalmente, de 150 a 300 minutos de atividade física moderada ou de 75 a 150 minutos de atividade física intensa, além de fortalecimento muscular 2 ou mais vezes por semana. Para os maiores de 65 anos, a indicação é  acrescentar como parte desse treinamento, ao menos 3 vezes na semana, movimentos com ênfase em equilíbrio e força para evitar quedas. 

Além dos benefícios físicos, como melhora na capacidade cardiorrespiratória e prevenção de câncer e diabetes, movimentar o corpo também faz muito bem para a saúde mental. Essa é uma grande vantagem, principalmente quando se atravessa momentos estressantes na vida. 

De acordo com o estudo One Year of Covid-19, realizado pela Ipsos para o Fórum Econômico Mundial, 53% dos brasileiros consideram que sua saúde mental piorou desde o início da pandemia do coronavírus. Globalmente, o quadro não é muito melhor. 45% dos entrevistados dos 30 países participantes da pesquisa sentiram que estão piores mentalmente. 

Por isso, é essencial manter a prática de atividade física, independentemente da sua idade e tipo físico. “A atividade física é recomendada para todo mundo: os que estão doentes, os que não estão doentes, os que não querem ficar doentes… isso é consenso entre os médicos, terapeutas… faz muito bem”, opina Marina Vasconcellos, psicóloga, psicodramatista e terapeuta familiar formada pela PUC-SP. 

De acordo com a terapeuta, o mínimo de frequência de treino para que os benefícios sejam sentidos é de 1 hora, 3 vezes por semana. A dica é procurar uma atividade que desperte o interesse. “Escolha algo que você gosta. Não adianta fazer algo muito chato porque durante os exercícios você vai estar liberando cortisol, o hormônio do estresse. O ideal é procurar alguma coisa que dê prazer e que mexa bastante com o físico e com a mente”, completa.      

A lista de benefícios da atividade física para a saúde mental é enorme. “A prática de exercício melhora a circulação sanguínea do cérebro, consequentemente, a oxigenação cerebral é maior, ou seja, isso melhora a função cognitiva. Também há uma sensação de bem-estar porque aumenta a concentração de serotonina e endorfina no corpo. Sempre depois do exercício, principalmente o aeróbico, vem a sensação de ‘ai, que bom, missão cumprida’. O corpo fica com uma sensação gostosa de ter feito alguma coisa por você, de estar cuidando da sua saúde, do seu físico, da sua aparência…aumenta a autoestima”, explica a terapeuta. 

Outra vantagem é que se mexer ajuda a eliminar o estresse. “Além de liberar esses hormônios do bem-estar, diminui o cortisol, que é o hormônio do estresse. A atividade física também cuida da depressão e da ansiedade, que são duas causas de sofrimento para muita gente, além de relaxar os músculos e aliviar a tensão”, fala Marina. 

Principalmente no frio, não é fácil sair da cama mais cedo para se exercitar ou trocar o sofá quentinho no fim do dia pelo treino, mas para vencer o desânimo, a terapeuta indica algumas estratégias: 

Pense nos benefícios

“Antes de começar pense: estou fazendo isso por mim. Se eu não cuidar de mim, ninguém vai cuidar. Estou investindo na minha saúde. O corpo é uma máquina que precisa ser estimulada, precisa se mexer, senão enferruja. O coração é um músculo que precisa ser ativado, senão fica fraco.”

Mantenha a rotina

“Coloca uma disciplina assim: ‘meu dia começa ou termina com exercício’. Eu acho melhor começar o dia fazendo exercício. Coloca na agenda: segunda, quarta e sexta ou terça, quinta e sábado, das 7h às 8h. Tenha como um compromisso de você com você mesmo. Com a prática, você sente falta se não faz. No começo é difícil, mas com o tempo você vai adquirindo boa vontade e o corpo vai te dando prazer.” 

A constância é essencial para ver resultados. “Não adianta fazer exercício uma vez na semana ou de vez em quando vai lá e faz uma aulinha. Tem que saber que é a constância que vai fazer o efeito. Dali a alguns meses, você vai sentir o efeito no seu corpo. Quem faz exercício físico, tem o sistema imunológico lá em cima. Ele é muito acionado”, finaliza.

Deixe seu Comentário

Todos os comentários passam por aprovação